top of page
  • Foto do escritorFarmbox

Vazio Sanitário: Estratégia Crucial no Combate à Ferrugem Asiática da Soja

Atualizado: 17 de mai.

A ferrugem asiática, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, é uma das maiores ameaças à produção de soja no Brasil. Desde sua primeira detecção no país em 2001, a doença tem causado prejuízos significativos, devido ao clima favorável que encontra em nosso território. A ferrugem asiática provoca a desfolha precoce das plantas, impedindo a formação completa dos grãos e resultando em uma queda acentuada na produtividade.


Na safra de 2005/2006, a ferrugem asiática foi responsável pela perda de cerca de 2,9 milhões de toneladas de grãos e gerou um custo de US$ 1,42 bilhões em controle fitossanitário, conforme dados do Consórcio Antiferrugem (CAF), uma parceria público-privada coordenada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esse cenário alarmante levou à criação da Instrução Normativa nº 2, de 29 de janeiro de 2007, que instituiu o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS).


Vazio Sanitário: Uma Medida de Prevenção


O vazio sanitário é uma das principais estratégias adotadas pelo PNCFS. Esta medida consiste em um período de ausência total de plantas vivas de soja, excluindo áreas de pesquisa científica e produção de sementes genéticas que são monitoradas rigorosamente. Durante o vazio sanitário, que dura entre 60 a 90 dias, é proibido plantar soja, e todas as plantas de soja existentes devem ser erradicadas com o uso de produtos químicos ou equipamentos.


Implementação Nacional


Atualmente, o vazio sanitário é adotado em 12 estados e no Distrito Federal. Em regiões onde a ferrugem asiática atinge níveis epidêmicos, os danos podem comprometer até 90% da produção de soja. O calendário do vazio sanitário varia entre os estados, com as seguintes datas destacadas:


  • Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná: 15 de junho a 15 de setembro.

  • Goiás e Distrito Federal: 1º de julho a 30 de setembro.


Consequências da Não Adoção


Produtores que não aderem ao vazio sanitário enfrentam sérios riscos. O não cumprimento desta medida pode antecipar o surgimento da ferrugem, aumentar a necessidade de aplicações de fungicidas, elevar os custos de produção e diminuir a produtividade. A disseminação do fungo pelo vento faz com que a doença não respeite fronteiras, afetando áreas vizinhas e regiões inteiras.


Monitoramento e Controle


A vigilância constante das lavouras desde o início do ciclo da soja é fundamental. O controle químico deve ser iniciado assim que os primeiros sintomas aparecerem ou de forma preventiva, considerando a presença do fungo na região, a idade das plantas e as condições climáticas favoráveis. A logística de aplicação, disponibilidade de equipamentos, presença de outras doenças e custo do controle também são fatores cruciais.


Conclusão


O vazio sanitário é uma medida essencial para controlar a ferrugem asiática da soja, protegendo as lavouras e garantindo a sustentabilidade da produção agrícola no Brasil. A adesão a esta prática não só beneficia o produtor individualmente, mas também contribui para a saúde e produtividade da soja em nível nacional.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page